#PoesiaImersa: O Encontro das Luzes Douradas

(PARA LUISA PIERONI)

Ela é luz.
Começo de nome que marcou a vida.
Chegou risonha, meiga.
Meio sem graça, muito engraçada.
Amor? Não cabia no peito.
Amizade construída, sentida.
União de mundos contraditórios.
Paradoxo do amor que é.

Ela é luz.
A brisa torna-se furação.
A grande mulher dourada ganha o mundo.
É sal que derrete neve.
É madeira queimada na lareira.
Fumaça na chaminé.
Vive a noite de dia, e o dia de noite.
A cidade gelada esquenta seu coração.

Ela é luz.
Se uniu no amor.
E o distante se fez perto.
Encontro entre dois belos.
Duas grandes luzes douradas.
Dourado que complementa dourado.
Era o aconchego no tapete do quarto.
A bebida vermelha do Natal encantado.

Ela é luz.
A pequena semente foi plantada.
Germina no ventre a grande luz.
A imagem, ainda retorcida, ganha sentido.
É um bebê.
Surge a terceira luz dourada.
Complementa o complemento.
Plenitude infinita do amor.

Ela é luz.
Há dentro dela dois corações.
Amor dobrado, multiplicado.
Rega a semente com sensibilidade.
Espera, a cada dia, seu florescer.
Juntos, os três crescem.
Esperam o grande encontro.
O dia de união entre as três grandes luzes douradas.

Posted In

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s